Kapalabhati é composta por duas palavras em sânscrito. Kapala significa “crânio” e bhati “luz, brilho”.

Podemos então traduzir o termo como “crânio brilhante”.

É um dos seis exercícios de purificação descritos por Svamin Svatmarama no Hatha Yoga Pradipika.

Estes exercícios, também conhecidos como kriyas, fazem parte das observâncias internas a serem adotadas pelos praticantes.

Kapalabhati é um dos kriyas secos, utilizado para limpeza das narinas, vias respiratórias e pulmões, fortalecendo e aumentando a capacidade pulmonar.

Durante sua execução enviamos uma carga extra de oxigênio ao cérebro, o que causa a sensação de brilho nesta região.

O kapalabhati consiste em inspirar de forma lenta e profunda, sem a retenção do ar, e expirar rápido e forte pelas narinas, fazendo ruído e contraindo o abdômen. Os pulmões devem estar vazios para iniciar a técnica e durante sua execução não devemos contrair os músculos da face nem fazer movimentos com os ombros. A glote deve permanecer aberta, evitando assim atrito com a passagem do ar.

O praticante pode optar por assoar as narinas antes de iniciar a prática, podendo inclusive manter um lenço próximo ao corpo, abaixo da região do nariz, o que possibilitará a observação das impurezas eliminadas.

Segundo Hermógenes, a melhor posição do corpo para a realização do exercício é a postura de lótus ou padmásana, podendo este ser realizado em outras posturas sentadas e mesmo em pé, sendo indispensável manter a coluna ereta durante sua execução.

Pode-se optar por manter os olhos fechados, o que proporcionará maior concentração mental.

Segundo Iyengar, este kriya ativa e revigora o fígado, o baço, o pâncreas e os músculos abdominais. Com isso a digestão é melhorada, os seios nasais são drenados e os olhos experimentam uma sensação de frescor.

Hermógenes cita ainda, como seus efeitos fisiológicos e psicológicos, o aumento da concentração de energia vital na região do plexo solar e da capacidade de autodomínio e de concentração.

É recomendável que o kapalabhati seja realizado no período da manhã ou da tarde, evitando o período noturno, pois o exercício produz um estado de euforia no praticante.

Para começar a sentir os efeitos do kriya é indicada a realização de um ciclo com 10 repetições, seguido de um relaxamento do aparelho respiratório, aumentando a quantidade de ciclos à medida que o praticante adquira a técnica necessária.

Os principiantes poderão sentir uma leve tontura devido ao aumento da oxigenação no cérebro. Caso isto ocorra, interrompa as repetições e faça respirações lentas e completas antes de retomar a prática.

Este kriya é desaconselhável para quem tem problemas no aparelho respiratório, circulatório e sistema nervoso.

Fernanda Leles