A excitação emocional afeta o padrão da respiração; inversamente, a regulação intencional da respiração contém a excitação emocional.

Durante as práticas de Yoga aprendemos a ritmar nossa respiração, controlando assim nossas emoções.

Pranayama, é uma das 8 partes do yoga.

Em sânscrito Prana significa fôlego, respiração, vida, vitalidade, vento, energia ou força.

Ayama significa extensão, expansão, alongamento ou retenção.

Portanto Pranayama significa extensão e controle da respiração.

Nossa respiração é dividida em 3 partes:

1.inalação ou inspiaração denominada em sânscrito puraka (dilatação)

2. exalação ou expiração denominada em sânscrito rechaka (esvaziamento dos pulmões)

3. retenção, um estado onde não há inspiração nem expiração, denominada kumbhaka. É o intervalo de tempo entre a inspiração completa e a expiração ou entre a expiração completa e a inspiração. Em ambos casos a respiração é suspensa ou retida.

Quando ritmamos nossa respiração, fortalecemos o sistema respiratório, acalmamos o sistema nervoso controlando assim a ansiedade.

À medida que a ansiedade diminue, a mente fica livre e torna-se um veículo adequado para a concentração.

 

Kariba Ekken, místico do século XVII ,disse: “Para cultivar a serenidade de espírito, primeiro regule a respiração, porque quando ela estiver sob controle, o coração estará em paz; mas se a respiração estiver pasmódica, então ele estará perturbado. Deste modo, antes de fazer qualquer coisa, primeiro regule sua respiração, assim seu temperamento será suavizado, e seu espírito, acalmado.”

 

Segundo B.K.S Iyengar o yogui busca o domínio da ciência da respiração e, por meio de seu controle e regulação, ele controla a mente e aquieta seu constante movimento. Durante a prática de pranayama, os olhos devem permanecer fechados para evitar a dispersão da mente.

Segundo ele, a vida do yogui não é medida pela quantidadde de dias e sim pelo número de respirações.

Desejo à você respirações profundas e um coração tranquilo.

Até a próxima leitura.

Namastê.